Dicas

8 dicas para cuidar dos dentes de bebês

POR - Dia 30 de julho de 2018

Muitos pais imaginam que só devem se preocupar com a saúde bucal de seus filhos a partir do nascimento dos dentes permanentes, mas esse é um grande equívoco. Na verdade, seguir algumas dicas para cuidar dos dentes de bebês desde os primeiros dias de vida é essencial não apenas para o desenvolvimento da dentição, mas também para o bem-estar geral da criança.

Pensando nisso, selecionamos as principais orientações para você garantir a saúde bucal do seu bebê. Confira:

1. Aposte na amamentação materna

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) recomendam que bebês de até seis meses de idade sejam alimentados exclusivamente pelo aleitamento materno, que oferece todos os nutrientes e anticorpos de que a criança precisa nessa fase.

Além disso, a amamentação no peito é um fator de proteção contra as cáries: ao mesmo tempo em que o leite materno contém propriedades que dificultam a proliferação de bactérias, a sucção sem o auxílio de bicos artificiais colabora com o desenvolvimento do sistema respiratório do bebê.

Dessa forma, a criança corre menos risco de respirar pela boca (o que causaria ressecamento das mucosas e favoreceria as cáries) e de desenvolver infecções das vias respiratórias, evitando o uso de antibióticos ricos em açúcar.

2. Utilize a mamadeira da forma correta

Quando não é possível amamentar o bebê exclusivamente no peito e recorre-se à mamadeira, é importante utilizar bicos anatômicos, recomendados pelo odontopediatra, e jamais aumentar o furo.

Além disso, deve-se evitar que o bebê fique com a mamadeira na boca depois de se alimentar apenas para coçar a gengiva ou brincar.

3. Faça a higiene bucal do bebê desde cedo

A higienização bucal para bebês em amamentação exclusiva deve ser feita com uma gaze umedecida em água filtrada depois da última mamada do dia. Nessa fase, a higienização é aconselhada principalmente para acostumar a criança com esse hábito.

A partir da introdução alimentar e do nascimento do primeiro dentinho, a gaze já pode ser substituída por uma escova infantil com cerdas macias e pasta de dente em pequena quantidade (equivalente a um grão de arroz). A opção por pastas com ou sem flúor deve ser feita com orientação do odontopediatra.

Recomenda-se fazer a higienização uma ou duas vezes por dia nessa fase, ampliando o número de escovações a partir dos 18 meses, quando o bebê já consome uma boa variedade de alimentos.

4. Não estimule o uso da chupeta

A OMS e a Unicef recomendam que não se utilizem chupetas, pois elas tendem a atrapalhar a amamentação materna. Além disso, esses acessórios podem prejudicar a respiração, a fala, a mastigação e até mesmo a postura corporal.

Caso os pais optem por oferecer a chupeta ao bebê, ela deve ser utilizada de forma limitada, apenas para dormir (pois a criança costuma cuspi-la durante a noite), e não durante o dia todo. Nesse caso, a chupeta deve ser retirada entre 1 e 2 anos para que não haja prejuízo à dentição.

5. Ofereça mordedores para aliviar a coceira dos dentinhos

Quando os dentes começam a nascer, o bebê tem muito incômodo nas gengivas e sente necessidade de ficar mordendo alguma coisa constantemente para aliviar a coceira. Nessa fase, o mais recomendado é oferecer mordedores específicos para essa finalidade, de preferência com orientação do odontopediatra.

Uma boa dica para aliviar ainda mais a coceira provocada pelo rompimento da gengiva é deixar o mordedor na geladeira, pois a temperatura mais baixa potencializa seu efeito.

6. Massageie a gengiva do bebê para amenizar o incômodo

Além de oferecer os mordedores, outra dica é massagear a gengiva da criança para diminuir seu desconforto durante o nascimento dos dentes. Para isso, recomenda-se envolver o dedo em uma gaze umedecida com soro fisiológico gelado ou utilizar uma dedeira de silicone.

O odontopediatra também pode recomendar o uso de géis anestésicos durante a massagem para aliviar temporariamente a dor e a coceira.

7. Leve o bebê ao dentista nas primeiras semanas de vida

A primeira visita ao odontopediatra deve acontecer logo nas primeiras semanas de vida do bebê, antes mesmo do surgimento do primeiro dentinho.

Nessa consulta, será feita uma avaliação da estrutura bucal da criança e os pais vão receber orientações sobre higienização, amamentação e cuidados durante o nascimento dos dentes de leite – que merecem tanta atenção quanto os permanentes.

Caso o dentista identifique riscos elevados para cáries ou alterações anatômicas, ele poderá solicitar que a criança retorne ao consultório com mais frequência para que seja feito o acompanhamento mais adequado.

7. Saiba reconhecer os primeiros sinais de cárie e outros problemas

É importante estar atento a alterações que possam indicar um desequilíbrio na saúde bucal da criança. Manchas brancas e opacas nos dentes, por exemplo, são os primeiros sinais das cáries, enquanto um sangramento na gengiva pode indicar problemas nessa região.

Os pais também devem observar se o bebê respira pela boca ou se ela apresenta mudanças em relação à mastigação e à deglutição. Em todos os casos, a visita ao odontopediatra para investigar uma alteração é fundamental.

8. Proporcione uma alimentação saudável à criança

Os alimentos oferecidos ao bebê na introdução alimentar devem ser preferencialmente naturais, como papinhas caseiras à base de frutas ou legumes, evitando-se os produtos muito industrializados. Depois, os alimentos sólidos se tornam importantes para estimular a mastigação gengival, que favorece o correto posicionamento dos dentes que vão nascer.

O consumo de doces e alimentos ricos em açúcar ou amido não deve ser estimulado, pois, além de favorecer a obesidade, esses produtos são os grandes causadores das cáries. Ainda, recomenda-se que o bebê experimente apenas o doce proveniente das frutas durante o primeiro ano de vida.

Mais do que preservar a saúde bucal da criança, essas dicas para cuidar dos dentes de bebês dizem respeito a todo o desenvolvimento infantil, incluindo o bom funcionamento das vias respiratórias, o ganho de peso saudável e a formação de seus hábitos alimentares, que serão levados para o resto da vida. Por isso, a orientação do odontopediatra é fundamental.

Fonte(s): Guia do Bebê, Minha Vida, Fortissíma, ESTADÃO, Terra e VIX